Total de visualizações de página

Longa Noite de Trevas de 8 Anos Chega ao Fim em Ipanema MG.

Não há mal que sempre dure, nem Perseguição que nunca acabe!


Foram 8 longos anos de trevas , 2920 dias...

Pesquisar este blog

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Introdução de peixes exóticos em nossa região

A introdução de espécies exóticas é uma prática que acompanha a história da humanidade, e ela vem sendo cada vez mais praticada em nossa região.

Pelo que temos conhecimento pelo menos desde a década de 70 os nossos rios vem recebendo introduções de espécie exótica, até onde sabemos tudo começou com a introdução da tilápia em lagoas (Tilápia é o nome comum dado a várias flores de peixes ciclídeos de água doce pertencentes à sub-família Pseudocrenilabrinae e em particular ao gênero tilápia.


Uma Tilápia já escamada


Eles são nativos da África, mas foram introduzidas em muitos lugares nas águas abertas da América do Sul e sul da América do Norte e são agora comuns na Flórida, Texas e partes do sudoeste dos EUA, sul e sudeste do Brasil).Outro Peixe que tambem foi introduzido em nossos rios (Rio José Pedro e Rio Manhuaçu), não sabemos se acidentalmente ou intencional é a Carpa.
Alguns tipos de CARPA 1ª (A Carpa Capim é outro exemplar muito comum nos pesqueiros. Tem o corpo roliço, bem mais fino do que as outras carpas e bem comprido.
Tem escamas prateadas maiores que a Carpa Cabeçuda uniformes pelo corpo. É um peixe com muita agilidade e rapidez, fato não muito comum em outras carpas. Se alimenta tanto na superfície quanto no fundo. Chega a mais de 15kg em nossos pesqueiros.)
2ª (A Carpa Húngara (Cyprinus carpio) tem as escamas uniformes pelo corpo, já a Carpa Espelho tem as escamas falhadas espalhadas pelo corpo. A Espelho (Cyprinus carpio) tem escamas de diferentes tamanhos, algumas absurdamente grandes. Já a Húngara tem escamas pequenas por igual pelo corpo. Carpas que chegam a 35kg nos pesqueiros e a mais de 60kg na natureza, principalmente na Europa.
Ambas são peixes de fundo, verdadeiras lixeiras. Reviram o fundo em busca de alimento, porém em pesqueiros tem o hábito de comer na superfície também.


Outro peixe introduzido em nossos rios é o Bagre Africano.


Bagre Africano
O Bagre Africano encontrou um ambiente tão favorável aqui na região, que podemos afirmar, que ele é hoje uns dos peixes mais abundantes no Rio José Pedro , se não o mais abundante. Ele pode ser encontrado tanto no Rio, como também nas lagoas naturais, artificiais (Pesque e pague) e córregos.

Porém, os rios da região possuem várias espécies de peixes endêmicas e as conseqüências dessa prática sobre a biota aquática são desconhecidas. Ainda não foi feito um trabalho para avaliar o efeito da introdução de espécies exóticas no nosso ecossistema.

****************************************************************
Outro peixe desconhecido de mitos, mas que já está sendo pescado com muita freqüência no Rio José Pedro.


Em breve estaremos fazendo uma postagem sobre ele, estamos recolhendo dados sobre sua origem।

O córrego Roça Grande cada vez mais fédido e poluído, continua a poluir o Rio José Pedro
http://www.ipanemamg.com.br/

IPANEMA MG

TERMINAL RODOVIÁRIO DE IPANEMA - MG

Mural de Recados